terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Carboidratos a noite

Estava assistindo tv agora a tarde (estou em férias...), e vi uma entrevista com Dr. Antônio Carlos Romanello sobre equilíbrio de vida. Ele falou sobre alimentação, stress, atividade física, comportamento.
Ele disse que o grande segredo é sair da rotina, fazer alguma atividade física para baixar peso e diminuir o stress, e diz que não devemos nos alimentar de carboidratos após às 18 hs.
Entrei no site, e copiei a matéria para explicar cientificamente o porque de não comer o meu pão a noite. Achei mto interessante e faz sentido:

Alimentação
Este é um assunto que gera polêmica, porque a tentativa em estabelecer uma regra fixa e única para alimentação esbarra numa verdade única: o ser humano é individual e mutável a cada instante. Voce mesmo teve épocas que comia doce em exagero e não engordava. Em outras, se privava dos açúcares e continuava engordando. Múltiplos fatores interferem no funcionamento orgânico. Assim, penso que um tipo específico de dieta ou mesmo de reorientação alimentar deva ser de acordo com cada tipo de pessoa. Já tive experiências interessantes com alimentos gordurosos e calóricos utilizados por pessoas que tiveram pouco ou até mesmo nenhum aumento de peso corporal, e seus exames de colesterol, triglicérides, se mantiveram em níveis normais. Outros ainda, se alimentavam com açúcar normalmente e mantinham a saúde normal. É também o caso das carnes de origem animal.
A privação de carne vermelha chega a causar carência de substâncias orgânicas necessárias para o bom funcionamento do organismo de algumas pessoas. Em outras, acarreta sobrecarga orgânica traduzida na dificuldade em se exercitar, sensação de aumento de peso, mudanças na dosagem do ácido úrico, etc. Da mesma maneira, uma dieta, sem condimento e leve, exclusivamente com verduras e legumes passa a ser "insuficiente" para outros tipos de pessoas, visto que em pouco tempo sentem-se sem energia, sem motivação e até com graus acentuados de anemia reconhecidos em exames de laboratório. Assim, dietas iguais para todos, trás bom funcionamento orgânico para uns, mas nem sempre para outros. E é este um dos motivos que muitas pessoas que fazem estas dietas "prontas" acabam por abandoná-las, até como um mecanismo de defesa, pois alguns alimentos que não estão incluídos nesta dieta, são necessários para o bom funcionamento deste organismo. Entretanto, alguns parâmetros servem para todos, ou seja, como o metabolismo basal (velocidade de funcionamento celular para manter o organismo funcionando em repouso) diminui a partir das 18 horas, a ingestão de açucares (carboidratos) após este horário, acarretará maior acúmulo de energia em forma de gorduras. Neste período é necessário a ingestão de maior quantidade de proteínas, pois durante a noite de sono, o organismo utilizará os aminoácidos (que formam as proteínas) como material de síntese e reconstrução do que foi "danificado" durante o dia. São utilizados na reconstrução de músculos, tendões, fâneros (cabelos, unhas etc), células do sistema imunológico ou de defesa, alguns tipos de hormônios e principalmente a manutenção do código genético. Em linhas gerais, se alimentar mais de proteínas (1g = 4 kilocalorias) do que carboidratos (1g = 4 kilocalorias) após as 18 horas, tanto diminuirá o acúmulo de calorias e conseqüentemente a diminuição de gorduras sanguíneas que se formarão a partir destes acúmulos, como reconstruirá o que foi destruído durante o dia. Lembrando ainda que cada grama de gordura representa 9 kilocalorias (kcal). Exemplos de carboidratos incluem legumes, massas, pães, grãos. Para acompanhar as proteínas após as 18 horas, verduras cozidas e folhas em salada são boas opções. Exemplos de proteínas incluem carnes, peixe, frango, ovos, queijos e derivados lácteos. A proteína da soja também está incluída nesta categoria.

0 comentários: