domingo, 20 de dezembro de 2009

GRATIDÃO

Estou meio que surpresa com as coisas que me aconteceram recentemente. Sabe qud existem várias coisinhas pendentes, e que de repente, se resolvem em uma semana?
De um mês pra cá, várias pecinhas se encaixaram, assim, vapt vupt.
Acho que uma característica do ser humano é ser eternamente insatisfeito. Então, como disse a Piti "eu quero sempre maaaaaaisssss", ou seja, sempre existem coisas a melhorar, peso a perder (arrrrgggg!), dinheiro de menos e mês demais, ambições mil e por aí vai.
Mas, fazendo um balanço geral da minha existência, não posso ser ingrata com a minha vida, sou muito abençoada!
Não tive um pai presente e nem com caráter. Mas tive em meu avô um exemplo de retidão, que superou todas as deficiências que o meu pai biológico tinha (e tem).
Não tive uma mãe como todo mundo tem. Mas tive uma avó que se enchia de orgulho de mim, e que é uma das culpadas por eu gostar tanto de comer. Bastava uma gripezinha pra me tratar feito rainha.
Não tive irmãos, mas tenho uma tia que se preocupa comigo, e que sei que sou importante pra ela, assim como uma irmã.
Não tive filhos por opção. Mas tenho um afilhado que se parece mto comigo, e que pude sentir um pouquinho da tal maternidade.
Não realizei, de cara, o ideal de namorar, casar, envelhecer juntos.
Casei, descasei, casei de novo. Não posso encarar isso como azar, não devo. Fui mto amada no primeiro relacionamento, e tive a sorte de encontrar outro louco...rs
Não trabalho no meu home office, como é meu sonho. Mas tenho um emprego decente, com pessoas bacanas (nem todas, claro...).
Tenho amigos de anos que sei que posso contar. Não estamos juntos sempre, mas sabemos onde nos encontrar, e o fato dos meses se passarem, não muda em nada o nosso sentimento.
Tenho duas gatinhas lindas, que amo, amo, e tb exerço meu lado maternal com elas (inclusive estou escrevendo enquanto uma delas roça meu pé).
Pela primeira vez, vou passar o natal somente com meu amor, já que praticamente não tenho família. E natal é sinônimo de família, isso é fato. Não tem a menor graça passar natal na casa de outras pessoas que não seja sua família. Aquele natal do passado, com casa cheia, mesa farta, música alta e gargalhadas já não existe mais pra mim. Sinceramente falando, isso dói mto em mim, sou mto saudosista. Mas, o foco desse post é gratidão. Então, tenho que agradecer por ter um amor ao meu lado nesse dia, e isso é muito importante pra mim.
Ainda bem que a tecnologia ainda não permite ver o blogueiro escrevendo, pois a chorona aqui está desidratada.
Faz parte!

Senhor, muito obrigada!

0 comentários: