terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Livro: Segunda-feira nunca mais


Preciso falar mais alguma coisa ou só pelo título já deu uma ideia do que está me atormentando?

Comprei esse livro, chegou sábado.
A pior coisa que tem é a gente trabalhar só pelo salário. 
E é assim que tem sido comigo, me sinto um robô. Faço o que tenho que fazer, e olho pro relógio o dia todo. Vejo  c a d a  minuto passar...
Estou desmotivada, não há política de crescimento, de mudança, não existe reconhecimento e ainda estou sob o jugo de uma pessoa com visão estreita e direcionada: o próprio umbigo.
É lindo ler aqueles slides ou livros de auto-ajuda onde dizem que não temos que nos submeter a empregos infelizes, que a felicidade é o que importa, etc, etc.
Só que na prática é tudo tão diferente, pois mta coisa conta: tempo de trabalho, idade, contas a pagar, plano médico, etc.
Não sou mais uma adolescente pra ir ao RH e pedir minhas contas, sem nem pensar em FGTS e a pqp. Não posso me dar ao luxo de meter o pé no balde.
Ao mesmo tempo não quero tentar outro emprego, pq seria trocar seis por meia dúzia.
Gostaria mesmo é de trabalhar em casa, poder fazer o meu horário, sem ficar engessada o dia todo.

Quem sabe vem uma ideia luminosa?

1 comentários:

Andrea Aoki disse...

Afeee Lu é horrível mesmo, entendo vc! Eu cheguei a pegar esse livro pra comprar acredita? Achei tão interessante! Se vc gostar mesmo me avisa que vou comprar!

Tb estou querendo fazer algo em casa, sei lá, nós q somos formadas em Letras temos tantas opções, sei q é mais arriscado, mas tb quero sossego, as vezes compensa mais ganhar menos, tô estudando algumas coisas, vendo uns cursos, vamos ver!

Boa sorte :)

Bjussss