domingo, 8 de maio de 2011

Dia das mães - Dia dos filhos sem mães



Parece que estou na contra-mão do mundo. 
Enquanto todo mundo está feliz, eu não estou nada feliz.
Esse dia é mto difícil para quem não tem uma mãe sequer pra ligar.
Se vou ao comércio, é um bombardeio de sugestões de presentes direcionados à mãe. 
Se vou ao supermercado já dou de cara, logo na entrada, com mil tipos de flores. 
Se ligo a TV é propaganda em cima de propaganda. 
E-mails, scraps aos montes!
...
Por toda a minha vida, essa coisa de mãe foi um problema pra mim. Tinha, mas achava que não tinha, e agora não tenho de fato.
Hj vou almoçar na minha tia, que com certeza sabe que nesse dia eu ficaria borocoxô e me convidou. Mas não vou escapar de ver meus primos chegando com presentes e recebendo abraços emocionados da mãe...
O negócio é saber conviver. Me faço de forte e que não ligo. Mas dói. Dói mto.
Me recuso a ir ao cemitério levar flores. Pra mim, lá não tem nada. Ela está num lugar mto melhor, e em pensamento oferecerei flores à ela e à minha avó, que foi minha mãe tb.  
Mas não sou egoísta ao ponto de não desejar um feliz dia das mães para todas aqui, ok?
Infelizmente, esse dia ficou com um apelo comercial mto grande, onde mta gente o usa para ganhar dinheiro.
Acho que chegar do nada, num dia comum, numa segunda -feira com um presente e um super abraço é mais arrebatador, sabe?
Mas isso é de cada um, pq no fim todo mundo acaba se rendendo...

Gde beijo!

6 comentários:

Romeyka Aguiar disse...

Amiga fique bem !!

bjsss

Talita Oliveira disse...

Linda sua reflexão, Lu! Conseguiu me emocionar. Como sei que nenhuma palavra dita melhora algo, desejo apenas que vc fique bem, sempre! Nesse dia e nas segundas que vc citou!

Beijos :)

Carolina Carvalho disse...

Oi amiga, achei seu blog no cantinho de uma amiga, e adorei parábens pela determinação!
Estou te seguindo, beijos !

http://minhalutapeloemagrecimento.blogspot.com/

Beth disse...

Minha querida, eu também perdi a minha mãe, há 1 ano e 10 meses, sei como se sente, é duro. Também tive uma relação com ela de muitas coisas boas e também muitas desavenças, eu até postei sobre isso, de novo, no fim de semana. Mas a gente segue, com força e sabendo que elas, lá no Alto, nos compreendem como ninguém, sabem direitinho o que pensamos, sentimos, os porquês de tantas coisas de antes, e nos amam, nos amam incondicionalmente e nos enviam ajuda em forma de energia, de amor, vamos em frente, querida. Não pudemos abraçar, beijar, mas pudemos pensar nelas, pudemos enviar orações, flores na nossa imaginação ou no vasinho em frente a uma foto, isso é que vale. Vale seguirmos com dignidade, com força e alegria, elas com certeza se orgulhando de nós e nos acompanhando, intercedendo por nós junto ao Pai. Também não vou ao cemitério, lá está a 'roupa' que usaram para essa existência, o que é de verdade existirá para sempre e nos acompanhará para sempre. Beijos no coração.

Bárbara disse...

A distância é temporária.
Apesar de muitas pessoas acharem uma bobeira, é a pura verdade.
Deus é tão bom que nos permite viver além da morte!
Tenha fé de que ela está bem e te acompanhando sempre!
Ore por ela, converse com ela pq ela está te ouvindo.
E você tem mãe sim, você que não a vê. Mas um dia voltará a vê-la.
Fique bem!
Beijos

Bárbara disse...

Estou te seguindo, me segue tb?